16 de abril de 2012

Exclusivo: Julio Severo entrevista Marisa Lobo, psicóloga cristã ameaçada pelo CFP

Exclusivo: Julio Severo entrevista Marisa Lobo, psicóloga cristã ameaçada pelo CFP

Perseguida pelo Conselho Federal de Psicologia, Marisa Lobo dá suas razões para defender sua fé em meio a hostilidades profissionais, legais e sociais.
Marisa Lobo é psicóloga clínica, formada em 1996, pela Universidade Tuiuti do Paraná. Pós-graduada em saúde mental, com curso de extensão em sexualidade humana, dependência química, cursos de entrevista motivacional, psicossomática, psicodiagnóstico, psicoterapia breve, arte terapia, bibliodrama, aconselhamento pastoral e teologia.
Marisa Lobo
Ela estagiou, a convite do governo dos Estados Unidos, no Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque, na Divisão Internacional de Atenção Primária à Saúde. Ministra cursos e palestras e possui experiência de mais de 13 anos em clinica e dependência química.
Ela realizou estudos sobre depressão infantil, violência e abuso sexual na infância, depressão, síndrome da adolescência e todos os tipos de compulsão, vícios e suas consequências.
Ela é idealizadora e coordena o curso de Dependência Química: Tratamento, diagnóstico e prevenção — Restituição sem internação.
Livros já publicados:
COMO FAZER DE SEU FILHO UMA CRIANÇA FELIZ, pela editora Arte Editorial, com prefácio do Dr. Silmar Coelho.
POR QUE AS PESSOAS MENTEM, pela editora Arte Editorial, Prefácio do Pr. Jabes de Alencar.
PSICOPATAS DA FÉ pela Editora Fôlego, com prefácio do Senador Magno Malta.
Julio Severo: Por que o Conselho Federal de Psicologia está ameaçando você?
Marisa Lobo: Por me expor na internet como psicóloga cristã, por defender minha fé e principalmente por questionar o kit gay, que para mim não é uma forma de prevenção ao preconceito e sim incentivo às práticas homossexuais. O kit gay é muito expositivo, e pelo que entendo de políticas públicas, não se justifica sua aplicabilidade de forma tão pessoal. O kit gay é dar privilégios e instituir um preconceito ainda maior. Com crianças as coisas devem acontecer ao seu tempo, de forma natural e globalizada. Devemos sim ter kits que falem de preconceito como um todo, do bullying que sofrem os gordinhos, os nerds, os baixinhos, os evangélicos, os homossexuais, os feios, os negros, os cegos, etc. Enfim, se dermos atenção privilegiada apenas a uma categoria, estamos discriminando as outras. Isso não é acabar com preconceito; é apenas uma tática maquiavélica de privilegiar e instituir uma ditadura e uma raça superior, e eu primo pela igualdade.
JS: Se uma pessoa envolvida em homossexualidade lhe pede ajuda para sair desse estilo de vida, o que você faz?
Marisa: Atendo. Meu juramento meu código de ética me diz que tenho que atender, dar ouvidos ao sofrimento psíquico, e se o fato de ser homossexual está causando qualquer tipo de  sofrimento, atendo sim, é minha obrigação, ainda que seja, para reverter sua orientação, condição e ou opção, se assim for de sua vontade absoluta. Nem poderia negar. Estaria ferindo o código de ética, não é mesmo? Mas é evidente que como psicóloga devo respeitar a resolução 01/999. A Organização Mundial de Saúde diz que homossexualidade não é doença, porém ao mesmo tempo não entendo por que tanta pressão da militância gay que tem medo de psicólogos que não negam auxílio. Os militantes gays pervertem e ficam vigiando nossos passos. O que acontece no setting terapêutico deve ser comandado pelo paciente. Acontece que a neurose é tanta que os psicólogos têm medo e são induzidos a deixar claro para o paciente que não é doença, independente de ser ou não. Mas se ele está indo ao consultório é porque está sofrendo. E se, repito, for da vontade dele, tenho que ser um canal, sem impor, como nunca fiz isso. O que falam de mim é mentira e mais uma estratégia de condenação de pessoas que são cristãs.
JS: As ameaças do CFP impedem você de ajudar homossexuais?
Marisa: A decisão da pessoa deve ser respeitada sempre. Devemos ter em mente que a demanda é do paciente sempre. Respeitarmos a sua vontade sem pressão. A reversão pode sim acontecer em muitos casos.  Acontece que o terrorismo do CFP não deixa que os homossexuais acreditem nisso. O CFP vem com aquela conversa de que se a pessoa deseja mudança, é por causa da imposição religiosa, e, como eles não creem de Deus — pois Deus para muitos lá é mito — então sempre vão tratar este assunto com preconceito religioso.  Eu já deixo o meu paciente decidir, se é o que deseja, vamos lá, e no decorrer, ele vai se achando, e até mesmo se assegurando se é isso mesmo o que deseja.
JS: Por que o CFP, que não impede psicólogos espíritas de aplicar técnicas espíritas em suas consultas, estão tão intrometidos no você faz como cristã que se importa com seus clientes?
Marisa: Por quê? Olha, não sei. Agora, é impossível até hoje eles não saberem que existe uma associação brasileira de psicólogos espiritas, ou psicologia budista, ou judaica, ou esotérica, ou parapsicologia, etc. Existe um número grande. É só acessar o Google e comprovar. O Conselho Federal de Psicologia é a autarquia mais persecutória, mais antiética da história. Eles não têm moral para me perseguir. Eles são militantes de ideologias, políticas, de orientação sexual, de ateísmo, e destilam seu ódio e preconceito contra os cristãos, principalmente os evangélicos. Mas a resposta está clara: o Cristianismo fala abertamente sobre homossexualidade. Então, eles querem nos destruir por sermos cristãos. Eles combatem a Bíblia punindo quem a segue, por preconceito religioso. É preciso dar um fim na militância do CFP, que deveria ser investigado pelo ministério publico, pois comete vários crimes, fere suas diretrizes, é hipócrita, antiético, persegue claramente quem se opõe. Por isso, tenho sido perseguida. A guerra é porque questiono esse conselho e sua diretoria hoje.
JS: Se o CFP cassar seu registro, o que você fará?
Marisa: Não vou desistir da minha profissão por isso. Nem tudo que é legal é moral. O CFP não tem moral, pois nos colocou uma mordaça, e ninguém ousa discutir suas decisões. Somos obrigados a aceitar como verdade ainda que seja uma mentira.
São surfistas sociais, vão se adaptando à evolução da sociedade, independente se essa evolução seja ruim, pois perderam a referência do que é “bem”, e ou “mal” para o indivíduo, do que é família, da necessidade de regras, ética, moral, princípios. Eles apenas vão surfando. Com isso, vão aumentando as crises familiares, maldade humana, a legalização de aborto chegando, divórcio batendo recorde, camisinhas nas escolas, legalização de drogas,  e a psicologia se adaptando. Daqui a pouco, vamos ver sexo nas praças, e todo mundo aplaudindo porque a psicologia vai achar que é direito de expressar a sexualidade. Ou seja, assim está caminhando a humanidade.  
JS: O que motivou a denúncia contra você no CFP?
Marisa: O fato de falar de Deus em minhas redes sociais e ter pedido aos deputados que prestassem atenção no conteúdo do kit gay, que era uma aberração, um conteúdo extremamente descabido e sexualizado que de forma alguma extingui o preconceito, mas sim cria mais ainda. Eles não gostaram. Aí, quando souberam que era uma cristã falando, começaram a me perseguir, como psicóloga que se denomina cristã, depois no processo como homofóbica, porque eu disse em um Twitter que amo os gays, mas prefiro meu filho hetero. E até agora não sei onde ter uma opinião instiga violência. Agora, eu perder o meu direito de dizer que sou feliz sendo hetero, e de que prefiro meus filhos hetero?
Eles querem que a sociedade pense que eu persigo gays, ofereço tratamento para gays porque sou fundamentalista, preconceituosa, decidiram isso e pronto. Não ACEITO. A verdade é que eles são contraditórios. Estão tentando usar tudo para me qualificar como “homofóbica”. E em 15 anos de trabalho, nunca nenhum paciente meu denunciou que em meu consultório imponho convicções religiosas. O caso contra mim é de PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA, PRECONCEITO RELIGIOSO. O CFP achou que eu ia me calar, porque muitos endeusam a psicologia. Pois bem: Eu, MARISA LOBO, só tenho um Deus, e não sirvo a insanidade desses membros do conselho. Se me cassarem, vão cavar a sepultura moral.
JS: Há uma tendência cada vez maior da classe de psicologia de rotular a pedofilia como orientação sexual. Como você encara o papel disso na perversão social?
Marisa: É um crime, claro, que merece prisão perpétua em minha opinião. Escrevi até um livro, PSICOPATAS DA FÉ, que tem uma capitulo sobre pedofilia, e mostra que é doença, e quem é psicólogo sabe, se formos levar ao pé da letra, é uma perversão da libido original, uma orientação, condição e ou escolha. A pedofilia está associado a psicopatia sem dúvida. Os psicólogos canadenses dizem claramente que para eles é considerado uma orientação sexual. Se acreditarmos nisso, aí quero ver como sair dessa. O que quero dizer é que, quando aceita socialmente, deixa de ser doença? Se a lei disser que não é crime, nada poderei fazer? 
JS: Como você encara a homossexualidade: doença ou pecado?
Marisa: Como psicóloga respeito a OMS, que diz que não é doença e não podemos trata como tal, porém distúrbio de identidade social existe, é doença. O travestismo está no CID 10 inscrito como doença. Para a psicologia, que só aceita a medicina em partes quando lhe convém, é orientação apenas.
Se é pecado ou não, não poderei falar sobre isso, porque sou como psicóloga. Pecado é uma referência de cada religião. Temos que saber o que a religião diz sobre o assunto. Se responder sobre isso, serei cassada em prazo recorde.
JS: A ABGLT, que é a maior entidade gay do Brasil, está por trás de todos os grandes casos de perseguição aos cristãos no Brasil, inclusive contra mim e Silas Malafaia. Você tem algum conhecimento de que a ABGLT está também em conluio ou colaboração com o CFP para perseguir você?
Marisa: A ABGLT publicou uma nota parabenizando e defendendo o CFP pela atitude contra mim e pedindo inclusive ao ministério público que me investigue por oferecer cura aos homossexuais, mentindo descaradamente sobre isso, apenas lançando no mercado esquizofrênico uma mentira para torná-la verdade. Agora só falta provarem. Mas essa intimidade está clara. Parece que são parceiros de “cama”. Não preciso dizer mais nada.
JS: O que você sente pelos homossexuais?
Marisa: Compaixão, amor de verdade. Mas tenho pena e desprezo pela militância desleal, porque usam os homossexuais e suas angústias. Observem: sempre são os mesmo ativistas que aparecem, lucrando e perdendo tempo em nos perseguir. Eles poderiam estar fazendo trabalho voluntário nas ruas, tirando os homossexuais comuns da prostituição, por exemplo. Mas, em vez disso, incentivam, até como profissão. Isso é lutar pelo ser humano? Usam suas ONGs para perseguir qualquer um que se oponha à sua militância. Quem ousar falar qualquer coisa é taxado de homofóbico. Eles ridicularizam nossa fé, nossa Bíblia, e querem respeito. A militância gay não merece respeito. E se isso for homofobia, queridos, o mundo inteiro é homofóbico.
Mas, pessoalmente, meu médico de pele é homossexual. Só lavo meu cabelo com um homossexual. Tratei de um homossexual em minha casa com AIDS por 7 meses, onde ele viveu comigo e minha família. O fato de não aprovar este ou aquele comportamento não me torna inimigo. A questão aqui é inversa. A militância gay quer nos tornar inimigos. Eles precisam alimentar essa guerra. Afinal, como vão se sustentar?  
JS: Além do CFP, outras entidades ou indivíduos também ameaçam você por causa de suas posturas cristãs?
Marisa: Os ateus, principalmente. Eles fazem vídeos contra mim e postam, me xingando de tudo, principalmente de burra, e têm o CFP como aliado. Nessa demente perseguição, ateus famosos fazem vídeos e conseguem status tentando me humilhar. Recentemente, um ateu fez um desafio para outros ateus entrarem em minhas redes sociais e negativar todos os meus vídeos. Eles falam cada coisa desumana que se eu não acreditasse de fato em Deus tinha desistido de viver. Mas os ateus não sabem que cada comentário de ódio que vejo sinto é pena, não raiva. Meus mecanismos de defesa funcionam, todos, e minha fé me sustenta. Sinto-me desafiada a continuar. Eles querem promoção.
JS: O Cristianismo verdadeiro é “perder para ganhar”. Você tem medo de perder sua carreira de psicóloga por causa do seu testemunho cristão?
Marisa: O único medo que tenho é de Deus virar sua face de mim. Deus me deu a oportunidade de ser perseguida por amor a ele, e aceitei. Deus quer mudar algo, e aqui falo como pastora. Sou apenas um instrumento. Se for cassada, vou lutar em todas as instâncias. Meu medo maior é de Jesus me negar diante do Pai, e isso não acontecerá, porque não o estou negando perante os homens.
JS: Você tem colocado seu testemunho por Cristo acima de sua carreira. Por quê?
Marisa: Foi uma luta ter me formado, e tenho amor pela minha profissão. Minha área é dependência química. Quantas pessoas nestes 15 anos de carreira deixaram as drogas. Quantas pessoas deixaram de abortar. Quantas pessoas pude ajudar a melhorar sua saúde mental. Quantas me agradecem até hoje. Enfim, amo minha carreira.
A dor vai ser grande, mas não será maior do que a de Jesus, que morreu na cruz por mim. O preço será alto, mas não maior que o preço que Jesus pagou pela minha alma. A certeza que estou fazendo a coisa certa e cumprindo a sua vontade acalma minha alma.
Deus está acima da minha profissão e da minha carreira. NÃO NEGO MEU DEUS POR NADA. 

27 comentários:

José Arlan disse...

Excelente entrevista, estou muito admirado da fé dessa mulher, que Deus a proteja sempre! AMÉM!!!!

ÉLQUISSON disse...

Vendo a situação que a irmã Marisa está passando, me lembrei da carta que Jesus mandou o apóstolo João escrever para a igreja de Esmirna:

Apocalipse 2:8–11

2:8 E ao anjo da igreja em Esmirna, escreve: isto diz o Primeiro e o Último, Aquele que foi morto e reviveu:
2:9 Eu conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia daqueles que se dizem judeus e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
2:10 Não temas as coisas que haverás de sofrer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.
2:11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: o vencedor não sofrerá o dano da segunda morte.

Naquela época, os fiéis da igreja de Esmirna estavam sendo impiedosamente perseguidos e mortos pelo Império Romano, mas Jesus os encorajava a permanecerem firmes a Ele até o fim. Muitos amavam mais a Jesus e à Sua Palavra do que as próprias vidas (uma lição importantíssima para os cristãos dos dias de hoje)!

Ninguém pense que a situação hoje é diferente daquela época. Quem desejar ser um verdadeiro cristão tem que estar preparado para enfrentar o pior a qualquer momento. A vida cristã é uma vida de lutas, de provações, de dificuldades, de problemas a resolver. Assim como o ouro precisa ser provado no fogo para remover as impurezas, assim também o cristão precisa ser provado para enfrentar a maldade do mundo (Tiago 1:12). O verdadeiro servo de Jesus tem que estar sempre pronto para dar a vida por amor a Ele e à verdade de Sua Palavra. Quantos, hoje, fariam como os fiéis de Esmirna (que aceitaram a morte sem nenhum medo)? O verdadeiro cristão nunca pode pensar que nunca será posto à prova por amor a Jesus!

Para a irmã Marisa, eu digo o seguinte: amada irmã, você não está sozinha esta luta. O Senhor Jesus está contigo. E nós, cristãos, estamos com você. Desde já, pode contar conosco (e também com as nossas orações).

Aproveito para deixar alguns versículos para sua reflexão:

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor a Ti, somos entregues à morte todos os dias; fomos separados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou" (Romanos 8:35–37).

"Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre" (Salmos 125:1)

"No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo" (João 16:33)

"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia Nele, e Ele tudo fará" (Salmo 37:5)

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

De acordo com o pensamento politicamente correto do governo (e dos homossexuais), ser homofóbico é:

– ser contra o homossexualismo;

– obedecer somente à Palavra de Deus;

– não aceitar a agenda gay (nem a doutrinação gay para as nossas crianças);

– não tolerar o pecado.

Se ser homofóbico significa ser tudo isto, então eu posso dizer com todas as letras (e com muito orgulho): sou homofóbico (com "H" maiúsculo).

Eu não sou de agredir física nem verbalmente ninguém, não vou desrespeitar ninguém, e não tenho coragem de fazer mal nem a uma mosca (quanto mais a um ser humano). Mas eu não fico calado diante das injustiças (não importa o que aconteça comigo). Faço como disse o apóstolo Paulo:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

Podem fazer qualquer lei ímpia que obrigue a todos (até mesmo com ameaças de morte) a aceitarem o homossexualismo, mas, ainda assim, eu nunca irei me curvar aos desejos do diabo e dos homossexuais. Tenho meus princípios morais e cristãos com os quais fui criado, e desses mesmos princípios eu jamais vou abrir mão. Adoto comigo o mesmo lema dos antigos mártires da fé cristã: "Antes morrer do que pecar".

Para a irmã Marisa, eu digo o seguinte: amada irmã, continue firme com o Senhor Jesus, e Ele te guardará em todos os teus caminhos. Desde já, seu nome está na lista de orações da igreja onde eu congrego.

Diz assim a Palavra do Senhor:

"Bem–aventurado é varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, e não se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na lei do Senhor; e nela medita dia e noite" (salmo 1:1–2)

"Bem–aventurados os que forem perseguidos por causa da justiça, porque é deles o Reino dos Céus; Bem–aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por Minha causa. Alegrai-vos e rejubilai, grande será o vosso galardão nos Céus; pois assim fizeram aos profetas que vieram antes de vós" (Mateus 5:10–12)

Oremos pela irmã Marisa, pois ela precisa, neste exato momento, de todo o melhor apoio que pudermos dar.

Idevam disse...

Mulher de Fé e Coragem Exemplo de Resistência a Intolerância Anti-Cristã dos Intolerantis Militantes LGBT

Parabéns Irmã em Cristo Marisa Lobo

Deus abençoe Vc e o Irmão em Cristo Julio Severo e Sua Família

Betopernambuco disse...

Se todos tivessem a firmeza dessa grande Brasileira nesse pai's derrubariam a ma'fia gay rapidinho. quando os Brasileiros cai'rem na real que o PT engoliu o estado, pondo e facilitando a entrada nas chefias dos grandes o'rgaos pu'blicos e engolindo nossa soberania ai acordarao. E' uma vergonha que brasileiros sejam tao omissos em casos tao escabrosos como esse.Gostaria de ver essa entrevista em vi'deo. Essa psico'loga deveria se candidatar para angariar mais forca. Parabens a ela. Betopernambuco

ELISEU disse...

O apóstolo Paulo disse que todos aqueles que quiserem viver em Jesus serão perseguidos (2 Timóteo 3:12). Nas épocas da Inquisição e do Império Romano, ser cristão era assinar a própria sentença de morte. Milhões de cristãos foram queimados vivos nas fogueiras, atirados às feras na arena do Coliseu, decapitados, e mortos de muitas outras formas.

Muita gente talvez ainda não tenha percebido, mas estamos, a cada dia que passa, voltando novamente a esses mesmos tempos. Se isto que estão fazendo com a irmã Marisa não é perseguição, então eu não sei mais o que é.

Estou pronto para pagar o preço que for necessário em favor do evangelho, e, neste exato momento, dou todo meio apoio à irmã Marisa. Ao mesmo tempo, manifesto meu repúdio à atitude do CFP (Conselho Federal de Psicologia). Este mesmo Conselho se diz imparcial, mas está, na verdade, totalmente submisso aos ditames deste governo corrupto e dos homossexuais.

Se mesmo com a lei ainda permitindo (por enquanto) a nossa liberdade de expressão já estamos sendo perseguidos, agora imaginem quando nos tirarem esse direito!

Tudo isto que está acontecendo só faz confirmar uma coisa: Jesus está voltando!

Da mesma forma que o Élquisson perguntou no comentário dele, eu também pergunto: quantos, hoje, fariam como os fiéis de Esmirna (que aceitaram a morte sem nenhum medo)? Quem, nos dias de hoje, morreria por amor a Jesus e à Sua Palavra? Quem teria a coragem de um Elias ou um João Batista para denunciar as coisas erradas dos poderosos (e também dizer as verdades que muitos precisam ouvir)? Quem?

Fica a pergunta no ar para alguém responder na primeira oportunidade!

@WilsonHazak disse...

Tu tá podendo muito minha fia!
A Dra. joga o ganha-ganha, pq se te deixarem em paz, ganhas, mas se te perseguirem... ganhas muito mais!
Tenha força e FÉ.

Anônimo disse...

Eu me solidarizei com a psicologa Marisa Lobo e enviei um e-mail para o Conselho Regional da categoria. A resposta que recebi foi esta:


Prezada,

A função precípua dos Conselhos de Psicologia é a regulamentação e fiscalização do exercício da profissão. Foi criado pela Lei nº 5766/71. Possuem delegação do Estado brasileiro para realizar ações que garantam melhorias para a profissão como um todo, seja atuando em defesa da sociedade contra os profissionais desvirtuados de seus deveres éticos, ou não possuidores da qualificação técnica necessária ao exercício da profissão. Todas as ações dos Conselhos de Psicologia estão amparados e respaldados por normativos, bem como os Conselhos de Psicologia lutam pela preservação dos princípios fundamentais da Ética Profissional, em especial: “O Psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades e contribuirá para a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação, exploração, crueldade e opressão” e “ O Psicólogo atuará com responsabilidade social, analisando crítica e historicamente a realidade política, econômica, social e cultural. Assinala – ainda, que não há qualquer normativo que disponha sobre a intervenção do exercício profissional, sendo que em caso de denúncia – ao psicólogo será garantido o direito de ampla defesa e do contraditório dentro do competente processo disciplinar ético. Qualquer sanção é aplicada tão somente após o transito em julgado do competente processo administrativo.


Att.
Elisandra Mirandola Krause
Orientadora Fiscal
Comissão de Orientação e Fiscalização - CRP08

Elaine disse...

A resposta do CFP é simplesmente esquizofrênica, não tenho outro qualificativo que me pareça mais adequado neste momento, por ela se tem uma noção do que é aquilo. Acho até interessante o CFP ter se manifestado, porque em geral, não respondem quando recebem qualquer pergunta e quando o fazem, se alicerçam em pseudo-explicações vazias que demonstram a qualidade das pessoas que dele fazem parte. Uma lástima.

Wilton disse...

O comentário do Eliseu foi direto ao ponto. Realmente, estamos voltando ao tempo das perseguições aos cristãos. Tem gente que não quer admitir nem aceitar isso, mas isso, infelizmente, já é uma realidade. Para que maior prova disso do que o que estão fazendo com a nossa irmã Marisa (que se recusou a obedecer ao "politicamente correto" do governo e dos homossexuais)? Isso sem contar as perseguições e mortes de muitos cristãos em países islâmicos (e em outros onde a Bíblia é proibida)!

A cada dia que passa, a volta de Jesus está mais próxima. O cerco está se fechando, e fatalmente vai chegar o dia em que muitos que se dizem cristãos serão postos à prova para saber quem é cristão de verdade (e não só de boca)! Quem estará pronto neste mesmo dia? O próprio Jesus pergunta isso:

"Quando, porém, vier o Filho do homem, por acaso achará fé na Terra?" (Lucas 18:8)

Quantos estarão prontos para a volta de Jesus?

Quem puder, responda de forma sincera a esta pergunta na primeira oportunidade!

MARIA disse...

Que exemplo maravilhoso de fé e fidelidade a Deus! Faltam pastores assim, faltam cristãos assim! Deus a abençõe!

Fabiano disse...

Na minha opinião, se a medicina psicológica está "proibida" de oferecer tratamento médico a essa gente... Deveria, no caso, haver uma generalização.
Toda a medicina que fosse ajudar "eles", deveria ser proibida, inclusive médicos que tratam aids, coração etc.
Quer dizer que, se um gay drogado procurar tratamento psicológico para se livrar das drogas, pode?
Se "eles" não querem ajuda médica, que se virem na hora em que der um infarto... O pobre cardiologista pode até ser processado, por ajudar um ingrato desses!!!
PS: Pra mim, é tudo doença.
"Eles", a ditadura gay, sorrateiramente só mudou o nome de HOMOSSEXUALISMO = doença, para HOMOSSEXUALIDADE = MODA!
E eu digo que é moda, porque se a mídia, principalmente a Globo, falar que usar uma espada cravada na cabeça é a "nova tendência", o brasileiro vai acatar, como todo bom cordeirinho caminhando para a matilha!!!

MARIA disse...

Enquanto isso o louco idiota do Ricardo Gondim está aplaudindo o aborto do feto anencéfalo dizendo que "células se multiplicando não é se humano."

Anônimo disse...

Bôa Marisa!

Até que enfim alguém com coragem para se levantar contra os abusos desse conselho!

bjaraujo disse...

Excelente entrevista!!!

Marisa Lobo demonstra lucidez e discernimento diante dessa militância imoral, perversa, anti-cristã e covarde.
Parabéns!

Anônimo disse...

Magnífica entrevista e perguntas bem contudentes do Júlio Severo para ela está no "olho do furacão".
A psicóloga, está na corda bamba para ser caçada o seu registro por persiguição aos "ativistas homossexuias e suas vertentes" e da fé cristã evangélica apoio total Dr. Marisa lobo.

Ester!!!!

Fábio Santos disse...

Até aonde vai a ousadia do movimento gayzista? http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1076992-cartaz-de-parada-gay-traz-foto-de-catedral-e-irrita-igreja-no-pr.shtml

Anônimo disse...

http://adventismoemfoco.wordpress.com/2012/04/17/gays-afrontam-a-moral-em-maringa-e-causa-repudio-de-cristaos/

Olha essa matéria Julio sobre o que acontece em Maringá.

Alerta Vermelho disse...

É no fogo que o ouro e a prata demonstram seu real valor. Fico profundamente tocado com atitudes dignas como esta que tanto enaltecem o nome do Deus vivo e de seu Cristo. É como bálsamo sobre as feridas e como a brisa no rosto em desertos escaldantes. Pessoas deste calibre não se podem vencer. Estão dotadas do fogo do altar. Suas mentes e espíritos são habitados pelos tesouros eternos, os quais se multiplicam para a eternidade. Este tipo confissão é uma prova viva de que o Cordeiro não morreu em vão. Ele olha e vê que valeu a pena cada gota de sangue derramado. Porque é no resultado do seu trabalho que converte em prazer a sua dor. Sem dúvidas são estes a razão de sua ressurreição, pois carregam com Ele a afronta dos povos sem envergonharem-se.

Glorificado seja o teu nome Pai Santo, que não os tem tirado do mundo, mas livrados do maligno.

E assim diz o Senhor teu Deus: "Acham-se, agora, congregadas muitas nações contra ti, que dizem: Seja profanada, e vejam os nossos olhos o seu desejo sobre Sião.
Mas não sabem os pensamentos do SENHOR, nem lhe entendem o plano que as ajuntou como feixes na eira. Levanta-te e debulha, ó filha de Sião, porque farei de ferro o teu chifre e de bronze, as tuas unhas; e esmiuçarás a muitos povos, e o
seu ganho será dedicado ao SENHOR, e os seus bens, ao Senhor de toda a terra." Mq 4. 11-13

Marisa, siga em frente nesta convicção a tua fé, porque é esta a fé que vence o mundo. O texto acima o Senhor sussurrou em meu espirito enquanto lia sua entrevista. Não temas, o Senhor é contigo mulher.

Anônimo disse...

Interessante como sites gls só autorizam postagens que estejam de acordo com o que eles pensam. Não é a primeira vez que eu, gay, infeliz com essa minha situação, que já procurou ajuda profissional (terapia mesmo) para tentar reverter a minha "orientação sexual", evangélico que ainda está em cima do muro, pois ainda não me decidi sobre o que de fato quero para a minha vida. Eu vi essa matéria, ou parte dela, no site do Mix Brasil, postei meu comentário lá e nada. Será que é por causa do feriado? Duvido. Mas como eu tinha falado lá, eu não sou o único infeliz com essa minha "orientação sexual", há vários milhares de outros como eu, mas que infelizmente, por falta de sabedoria e amor principalmente dos irmãos e líderes da igreja - e por excesso de intolerância, discriminação, machismo e preconceito dos mesmos - não temos apoio dos mesmos. Já tive a benção de fazer terapia com terapeutas cristãos. Eu valorizo muito. Acho que todos tem o direito de buscar a felicidade. Vivemos num país democrático. Por isso, acredito que Conselhos que não estão na pele daquele que procura ajuda não deveriam interferir na decisão de um terapeuta ajudar ou não alguém que queira sair da homossexualidade. Sabemos que esse é um mundo podre. Podre mesmo! Dou parabéns para aqueles, como a Rozangela Justino, enfrentam esses Conselhos em nome de Cristo!

maria aparecida rosa disse...

Julio excelente entrevista! Gostaria de ter muito dinheiro para publicar essa entrevista na TV, jornais, revisas, folhetos nos metrôs, hospitais psiquiatricos, escolas,faculdades,empresas, saúde publica, o povo brasileiro precisava tanto desse material...

Sandro Teixeira disse...

Estes militantes gays e ateus, incluindo muitos lá no CFP, denunciam a si mesmos como pessoas desequilibradas e mal-amadas; pessoas depravadas que não querem guardar só para si a sujeira que comem. Querem nos impor o seu lixo imundo, fruto de uma consciência cauterizada. É como disse mesmo, o Apóstolo Paulo. "Estão recebendo em seus próprios corpos a devida recompensa do seu erro". Estão como o bêbado que diz: "Bateram-me e não me doeu!" A lepra do pecado os torna insensível à dor e à putrefação!

Sandro Teixeira disse...

Estes militantes gays e ateus, incluindo muitos lá no CFP, denunciam a si mesmos como pessoas desequilibradas e mal-amadas; pessoas depravadas que não querem guardar só para si a sujeira que comem. Querem nos impor o seu lixo imundo, fruto de uma consciência cauterizada. É como disse mesmo, o Apóstolo Paulo. "Estão recebendo em seus próprios corpos a devida recompensa do seu erro". Estão como o bêbado que diz: "Bateram-me e não me doeu!" A lepra do pecado os torna insensível à dor e à putrefação!

Anônimo disse...

Vamos falar sério, quem afirma que a homossexualidade não é doença se baseia em que ? Muito do comportamento humano tenta ser explicado através de impulsos ancestrais ainda presentes em humanos e animais, como por exemplo, o homem ser mais rude, peludo, musculoso, corajoso, bravo, por causa de sua função em proteger a prole, a mulher ser mais resistente, mais carinhosa, ligada a prole, para alimentá-la e protegê-la, bonita e atraente, para gerar mais filhos, prova que o sexo entre homem e mulher é para manter seus genes sobre a terra. Tudo o que destrói a herança genética é anti-natural, o homem se extinguir é como um suicídio, é odiar-se, isso é ou não é doença ? Uma compulsão autodestrutiva, um desejo de aniquilar-se. O sexo entre pessoas de mesmo gênero é violência, um prazer mórbido, uma rebelião contra a natureza e tudo o que destrói a natureza que benefício trouxe a humanidade ?

Sandro Teixeira disse...

O embuste de se colocar o homossexualismo na categoria de "doença" é que isto, despistadamente isenta o praticante da responsabilidade maral por tal ato. Quando "atacado" de alguma forma, no seu próprio conceito, ele se coloca na condição de vítima, mas quando quer defender a sua prática, é capaz dos mais abusivos argumentos...

Central do Maranhão disse...

Não há dúvidas de que o Senhor ja está voltando para buscar a sua igreja. Aleluia Cristo está voltando.

Anônimo disse...

Graças a Deus.
Glorificado e exaltado seja Deus.
Continue firme na presença de Deus, Marisa, Deus tem galardão de ouro para ti.
Amém!!!!