30 de agosto de 2016

Bruxaria, islamismo e humanismo estão preenchendo o vazio espiritual deixado por uma igreja moribunda nos EUA e Europa


Bruxaria, islamismo e humanismo estão preenchendo o vazio espiritual deixado por uma igreja moribunda nos EUA e Europa

Michael Snyder
Uma mudança dramática de paradigma espiritual está ocorrendo no Ocidente. Mais americanos do que nunca parecem estar se desviando da fé cristã, e isso está acontecendo principalmente entre jovens. E embora seja inegável que o ateísmo e o agnosticismo estejam crescendo rapidamente, é também importante apontar que outras religiões estão em ascensão no Ocidente no tempo exato em que o Cristianismo está encolhendo. Se você é cristão, o que você está para ler deveria lhe trazer muita preocupação.
Vamos começar pela bruxaria. Estima-se que a Wicca (uma forma muito popular de bruxaria) é agora a religião que mais cresce nos EUA. Livros e filmes que apresentam Harry Potter e outros que usam “magia” para o bem estão estimulando interesse enorme na magia negra hoje. Só considere o trecho seguinte de um artigo no site Salon que foi publicado no começo deste ano:
Lojas que se especializam em miudezas metafísicas (velas de meditação ritual, óleos misturados, ervas sagradas) como Céu Encantado e a Casa da Intuição em Los Angeles, embora não sejam novas, de repente estão recebendo multidões de clientes. No Brooklyn, a loja Bruxas de Bushwick expandiu de um local no circuito de farras secretas para uma organização coletivista social que celebra a feitiçaria como arte feminista e colabora com empresas da moda como Chromat. É claro que para os que preferem fazer poções em casa, várias novas lojas de assinatura de temas de bruxaria e ocultismo entregam produtos de magia negra na sua casa.
E a mídia social deu condições para jovens interessados na magia negra se conectarem uns com os outros de um modo que nunca vimos antes. Eis mais informações de Salon:
Confira a mídia social: Uma busca da palavra #witch (bruxa) no Instagram dá como resultado cerca de 2.375.000 posts — ao passo que para #kardashian registra apenas 1.630.000. Na próxima vez, pesquise numa loja cara: cartas de tarô estão voltando em estilo elevado, graças a varejistas como Wild Unknown — suas cartas astutas estão em lojas de todos os Estados Unidos, desde centros comerciais luxuosos como ABC Home em Nova Iorque até lojas independentes como Skylark na Praia Venice na Califórnia. K-Hole estava certo, o misticismo agora é a nova normalidade.
Sim, há ainda muito mais cristãos do que bruxas nos EUA.
Mas as fileiras dos que estão entrando no ocultismo estão crescendo muito rapidamente — principalmente entre jovens americanos — e em muitas igrejas no domingo de manhã você será feliz se conseguir achar um punhado de jovens.
Enquanto isso, o islamismo está também em ascensão no Ocidente. Muito da culpa disso é devido à imigração, e novas mesquitas estão surgindo em todas as partes dos Estados Unidos e Europa.
À medida que o islamismo avança, tem havido um esforço concertado de certos grupos para unir o Cristianismo e o islamismo. Esse movimento ficou conhecido como “Crislam,” e em anos recentes temos visto algumas coisas que muitos de nós nunca imaginamos que chegaríamos a ver no mundo cristão.
Por exemplo, no começo deste ano a Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA) foi iniciada com uma reza oferecida a Alá:
“Alá nos abençoe e abençoe nossas famílias, e abençoe nosso Senhor. Conduz-nos na vereda direita — a vereda de todos os profetas: Abraão, Ismael, Isaque, Moisés, Jesus e Moamé.”
Essas foram as palavras que ecoaram na congregação na Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA) que se reuniu em Portland, Oregon. Wajidi Said, cofundador da Fundação de Educação Muçulmana, dirigiu os participantes na reza ao deus islâmico, uma ação providenciada pela equipe do ministério ecumênico inter-religioso da assembleia.
A reza foi a parte mais importante da sessão de abertura da reunião, um momento dedicado a orar pelos que haviam sido afetados pelo tiroteio em Orlando que ocorreu apenas uma semana antes.
E é claro que a Igreja Presbiteriana dos EUA está longe de ser a única. O Papa Francisco declarou que os cristãos e os muçulmanos “adoram o mesmo Deus,” e em 2014 ele autorizou rezas islâmicas e leituras do Corão no Vaticano pela primeira vez na história.
Mas apesar de tais esforços de “unir cristãos e muçulmanos,” a verdade é que os terroristas islâmicos continuam a massacrar cristãos numa base contínua no mundo inteiro. O atentado mais recente numa igreja ocorreu na Indonésia no domingo:
Um homem-bomba suicida do ISIS atacou hoje um padre católico com um machado enquanto tentava explodir centenas de participantes da missa numa igreja no domingo.
O Pe. Albert Pandiangan, de 60 anos, estava realizando a cerimônia santa no altar quando o fanático de 18 anos foi depressa até ele com uma bomba numa mochila e tentou se explodir.
Mas a bomba queimou sem detonar os explosivos, de modo que o terrorista islâmico puxou um machado de sua bolsa e fez um corte no braço do padre na Igreja de São José em Medan, na capital do Norte do Sumatra na Indonésia.
Até agora houve mais de mil atentados terroristas islâmicos em 2016, e o ISIS parece ter uma ênfase renovada em atacar igrejas e cristãos onde quer que os achem.
Sem dúvida, estamos também testemunhando um aumento imenso no número de ateus e agnósticos no Ocidente. A Europa está muito mais longe do que os Estados Unidos nesse aspecto, e muitas áreas do continente são com justiça consideradas como “pós-cristãs” nesse ponto.
No Reino Unido, a fé cristã vem diminuindo tão dramaticamente que há agora “capelães humanistas” que não acreditam em absolutamente nenhuma religião:
Com o número de membros em todas as igrejas cristãs tradicionais em seu ponto mais baixo, a Inglaterra está vendo o crescimento de capelães humanistas que proveem apoio “pastoral” para as pessoas que não têm nenhuma religião.
No mês passado a Universidade de Westminster em Londres inovou ao nomear seu primeiro conselheiro secular oficial para os estudantes.
Essa ação foi resultado de campanhas da Associação Humanista Britânica desde 2014 para treinar mais que 100 voluntários para entrarem nas escolas, hospitais e prisões a fim de fornecer apoio aos que não acreditam numa deidade.
Felizmente, as coisas são muito diferentes em boa parte do resto do mundo. Aliás, a fé cristã está atualmente experimentando um crescimento explosivo na China, Índia, América do Sul e muitas partes da África.
Mas nos Estados Unidos e Europa as pessoas estão deixando a fé de seus ancestrais em números espantosos, e esse vazio espiritual está muitas vezes sendo preenchido por outras religiões tais como a bruxaria e o islamismo.
Então o que isso significa para o futuro da sociedade americana e europeia?
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: Witchcraft, Islam and Humanism Are Filling the Spiritual Void Left by the Dying Church
Outro artigo de Michael Snyder
Outros artigos relacionados:

29 de agosto de 2016

O cigarro, o canalha e a Inquisição


O cigarro, o canalha e a Inquisição

Julio Severo
Não fume. Eu fumei. Eu queria nunca ter fumado.” Esse comentário honesto e sincero, que é uma bela propaganda anti-fumo, ou antitabagismo, veio diretamente de um ex-fumante famoso: Leonard Nimoy, ator de Jornada nas Estrelas.
Mas o cúmulo da canalhice é o sujeito fumante defender seu vício chamando de canalha quem luta contra esse vício. Em vez de honestamente dizer que o revisionismo e a reabilitação da Inquisição são o refúgio dos canalhas, ele declara com a maior cara de pau: “O antitabagismo é o penúltimo refúgio dos canalhas. O último é o desarmamento.”
Grandes ativistas pró-família nos EUA são antitabagismo. Então, todos eles são “canalhas”? Nimoy, o famoso Spock, foi também um “canalha” ao se opor ao cigarro?
O fumante de hálito e boca sujos é o mesmo sujeito que trata como canalhas os que se opõem ao seu revisionismo e reabilitação da Inquisição, que torturava e matava judeus e protestantes. (Nimoy e eu viveríamos sob risco de morte naquele tempo. Ele, por ser judeu. Eu, por ser evangélico.)
Você queria que um sujeito dessa espécie tivesse o direito de portar armas? Sou totalmente a favor de porte de armas para pessoas ajustadas que precisam de proteção para si e suas famílias. Na época da Inquisição, eu seria totalmente a favor do porte de armas para todos os judeus e protestantes, que eram as vítimas preferidas de torturadores e assassinos sádicos do que a Igreja Católica chamava de “Santa Inquisição,” mas não chama mais. Só os loucos a chamam disso hoje.
O porte de armas é necessário não só por causa de criminosos, mas também para que perseguições, torturas, assassinatos e atrocidades como os cometidos pela Inquisição nunca mais se repitam.
Por isso, sou totalmente a favor do desarmamento para bandidos e canalhas que desculpam a Inquisição. O desajuste mental, moral e espiritual de ambos é um perigo para a sociedade e exige tal controle extremo.
O sujeito fumante pró-Inquisição defende gostosamente cigarros acesos na boca, mas não dá a mínima para as vítimas judias e protestantes da Inquisição, desprezando seu sangue inocente derramado. Ele prefere, do conforto de sua poltrona, defender a máquina assassina da Inquisição. Para ele, o vício que prejudica a saúde tem valor especial e merece proteção, mas vidas inocentes não. Se isso não é canalhice pura, então o que é?
Ele parece desconhecer que a Inquisição, que havia se tornado uma máquina descontrolada, prendeu o católico Rodrigo de Jerez 500 anos atrás. O crime dele? Ele era fumante.
Até onde se tem registro, Jerez, que foi marinheiro de Cristóvão Colombo, foi o primeiro fumante da Europa. Ele conheceu o fumo durante uma das viagens de Colombo ao continente americano. Quando Jerez voltou para a Espanha, ele trouxe algum tabaco. A fumaça que cercava a face dele quando ele fumava deixava as pessoas amedrontadas. A Inquisição o jogou na cadeia porque “só o diabo podia dar ao homem o poder de exalar fumaça de sua boca.” A Inquisição o manteve encarcerado por sete anos.
Seja o que for que Jerez passou em seus sete anos de prisão, ele saiu vivo. Seu castigo foi “brando.” Seu sofrimento não foi nada em comparação com a tortura e morte que a Inquisição infligia aos judeus e protestantes. O castigo deles não era nada brando.
A Inquisição era muito mais tolerante com fumantes do que com judeus e protestantes. Talvez por isso o famoso fumante brasileiro seja um revisionista apaixonado da “Santa Inquisição.”
A Inquisição pode não ter aplicado a pena de morte em Jerez, mas as consequências médicas do fumo têm condenado milhões a enfermidades e morte. Se fumar já é ruim, que tipo de exemplo é reabilitar a Inquisição?
Precisamos seguir bons exemplos, não maus. Os EUA têm excelentes liberdades legais de porte de armas, liberdades herdadas de uma cultura predominantemente evangélica com base na Bíblia, que apoia a defesa armada. O Brasil precisa imitar isso e dar a mesma liberdade aos seus cidadãos.
Recentemente, a Assembleia Legislativa de Pernambuco instituiu oficialmente o “Dia em Memória dos Judeus Vítimas da Inquisição.” Esse é um exemplo excelente, que precisa ser imitado no Brasil inteiro, que deveria instituir nacionalmente o “Dia em Memória dos Judeus Vítimas da Inquisição.” O Brasil precisa de tal feriado nacional.
Se os bons não instituírem nacionalmente o bem, os maus poderão acabar instituindo seus males. Afinal, como é que pode o sujeito defender, com a maior sem-vergonhice, dois males (tabagismo e Inquisição) ao mesmo tempo e ainda posar de intelectualmente honesto ao xingar os que discordam de seu extremismo? Se isso não é canalhice pura, então o que é? Se isso não é desonestidade intelectual, moral e espiritual, então o que é?
O fato é: Se os canalhas não forem repreendidos por suas canalhices, eles vão tratar os outros com o mesmo desprezo que suas canalhices e desonestidade merecem. Eles vão tratar os outros conforme o boca-suja Lênin orientou os marxistas de seu tempo: “Acuse seus inimigos do que você faz, chame-os do que você é.”
Antes que eles acusem você da desonestidade que eles praticam e chamem você do que eles são, diga alto para eles ouvirem e escreva forte para eles lerem:
“A reabilitação da Inquisição é o refúgio dos canalhas.”
Se você não os repreender, eles vão xingar você. Aliás, eles já estão fazendo isso. O que você está esperando?
Leitura recomendada:

28 de agosto de 2016

Equipe de Ted Cruz: Nós avisamos você sobre Trump


Equipe de Ted Cruz: Nós avisamos você sobre Trump

“É evidente que ele ludibriou seus apoiadores mais leais na questão com a qual eles se importam”

(POLITICO) À medida que Donald Trump está suavizando sua retórica que tempos atrás era dura contra a imigração, os apoiadores de seu principal inimigo vencido Ted Cruz têm uma mensagem para os eleitores do Partido Republicano: Nós avisamos você.
Ted passou os meses finais de sua corrida primária presidencial fracassada argumentando que Trump era um liberal não muito bem dentro do armário em cuja linguagem conservadora sobre imigração não se deveria confiar. Agora, Trump diz que ele está aberto a “suavizar” sua atitude para com alguns imigrantes sem documentos que já estão nos EUA, mostrando que ele está abandonando suas exigências anteriores de deportação.
E enquanto Ted Cruz olha para sua chance de reeleição em 2018, com alguns de seus apoiadores permanecendo com esperanças para uma corrida presidencial para 2020, o mundo de Ted se sente justificado.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Cruz team: We 'warned' you about Trump
Leitura recomendada:

27 de agosto de 2016

Julian Assange, do WikiLeaks, promete liberar importantes emails de Hillary Clinton


Julian Assange, do WikiLeaks, promete liberar importantes emails de Hillary Clinton

Divulgação trará grandes mudanças na eleição presidencial dos EUA se pegar fogo na mídia e público

(REUTERS) Julian Assange, fundador e editor-chefe do WikiLeaks, disse na quarta-feira que sua organização planejou liberar informações “importantes” ligadas à campanha de Hillary Clinton, candidata presidencial do Partido Democrático, antes da eleição de 8 de novembro.
Indagado se os dados poderiam trazer uma mudança grande na eleição, Assange disse para o canal de TV Fox News numa entrevista conduzida via satélite: “Acho que é importante. Sabe, depende de como vai pegar fogo no público e na mídia.”
Assange vive na Embaixada do Equador em Londres há cinco anos para evitar extradição para a Suécia, onde ele enfrenta acusações de agressão sexual. Ele nega as alegações.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Assange vows “significant” Hillary email release
Leitura recomendada:

26 de agosto de 2016

Americanos estão desistindo de Deus e milagres


Americanos estão desistindo de Deus e milagres

“Percebi em algum ponto que eu realmente não acreditava.”
(Washington Examiner) Metade dos americanos que deixaram sua igreja não mais crê em Deus, levando uma onda de aproximadamente um quarto dos EUA que não é membro de nenhuma religião, de acordo com uma nova pesquisa.
O Centro de Pesquisa Pew disse na quarta-feira que 49 por cento dos “sem religião” deixaram sua igreja e religião porque “não acreditam.” Outros 20 por cento disseram que não gostam da religião organizada. Outras razões incluíram “bom senso” e uma falta de fé em milagres.
A pesquisa é a mais recente do Pew que demonstra uma crescente tendência nos EUA: Mais e mais pessoas estão jogando sua religião no lixo e muitos estão desistindo de Deus.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Pew: Americans giving up on God, miracles
Leitura recomendada:

25 de agosto de 2016

Jornal pró-Hezbollah insinua que Putin é judeu


Jornal pró-Hezbollah insinua que Putin é judeu

Hezbollah é o maior grupo terrorista islâmico xiita

Adam Eliyahu Berkowitz
Um serviço noticioso libanês fez uma afirmação chocante nesta semana: Os laços cada vez mais próximos do presidente russo Vladimir Putin com Israel são porque ele é judeu. Na terça-feira, o jornalista Sami Kleib escreveu um artigo intitulado “A Natureza Judaica de Putin: Serve aos Árabes e a Síria?” O artigo apareceu no As-Safir, um importante jornal diário pró-Hezbollah de língua árabe com sede em Beirute.
Vladimir Putin
O artigo comenta as reuniões frequentes entre Putin e o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o aumento dos laços econômicos e cooperação militar entre Rússia e Israel. Outra prova citada foi Israel escolhendo não se unir às sanções internacionais contra a Rússia quando os russos anexaram a Crimeia, e a cooperação que vem impedindo confrontos entre as Forças e Defesa de Israel e as forças russas que atuam na Síria. A reportagem sugere que essa amizade crescente poderá levar a Rússia a não cumprir sua promessa de transferir os sistemas avançados de mísseis antiaéreo S-300 ao Irã.
A reportagem descreve os laços pessoais íntimos de Putin com judeus na sua infância e adolescência. Vários desses amigos de infância continuam amigos íntimos do líder russo, se tornando ricos como resultado. Esses laços pessoais são também creditados com a tolerância religiosa recente e inédita para com o judaísmo na Rússia. Putin frequentemente participa oficialmente de cerimônias judaicas e está próximo de líderes da comunidade judaica.
Vladimir Putin com supremo rabino da Rússia acendendo um menorá durante o feriado judaico do Hanukkah
Putin escreveu muito sobre suas experiências de infância com judeus em sua autobiografia publicada no ano 2000. Seu treinador de box, uma figura paterna para Putin, era um judeu praticante.
O site Algemeiner especulou que a reportagem de As-Safir teve como base vários sites de teorias de conspiração que afirmavam que a infância de Putin entre judeus de sua comunidade foi devido ao fato de que ele realmente é judeu. Embora nenhuma prova tivesse sido apresentada, o site Debatepolitics fez a afirmação surpreendente de que os avós maternos e paternos de Putin eram judeus. Depois, fez uma declaração preocupantemente racista.
“Só dê uma olhada de perto na face e ouvidos de Putin; ele é tão cristão quanto Benjamin Netanyahu. Ele é apenas outro cripto-judeu, tendo convenientemente se convertido ao Cristianismo ortodoxo. Muito conveniente.”
A reportagem do As-Safir comenta sobre a importante imigração de judeus russos para Israel como um dos fatores nos laços cada vez mais próximos entre Rússia e Israel. Os israelenses russos, sob o ministro da Defesa Avigdor Lieberman, que é um judeu russo, que lutam contra os árabes nas Forças de Defesa de Israel são um ponto importante de preocupação levantado pelo artigo.
Numa afirmação preocupantemente similar ao manifesto antissemita os Protocolos dos Sábios de Sião, a reportagem afirma que devido à benevolência de Putin, os judeus estão assumindo o controle da economia e dos meios de comunicação da Rússia.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do site israelense BreakingIsraelNews: Hezbollah News: Is Putin Jewish?
Leitura recomendada:

24 de agosto de 2016

Sexo anal: Amor ou dano?


Sexo anal: Amor ou dano?

Julio Severo
Um argumento muito comum contra o sexo anal entre homossexuais é que há numerosos riscos de saúde envolvidos. Esses riscos são apresentados por pastores evangélicos e líderes pró-família como uma razão forte para desestimular as pessoas do sexo anal homossexual.
Os riscos são reais e verdadeiros, mas não limitados aos homossexuais. Qualquer indivíduo que se engaje em sexo anal corre os mesmos riscos. Uma mulher, casada ou não, que recebe analmente o pênis de um homem é tão vulnerável a esses riscos quanto um homossexual.
Em seu livro “Sexual Sabotage” (Sabotagem Sexual), publicado por WND Books em 2010, a escritora americana-judia Judith A. Reisman, lidando com o que ela rotulou de variadas condutas pervertidas, cita que “11% dos indivíduos casados participam de sodomia anal pelo menos uma vez.” Essa percentagem provavelmente é muito menor, pois, como Reisman deixa claro, sua fonte, o Instituto Kinsey, exagera em suas afirmativas sexuais e infla seus números sexuais. Esse instituto é notório por sua defesa descarada de atos e conduta homossexual.
Exageradamente, só 11 por cento das mulheres casadas se envolvem em sexo anal pelo menos uma vez.
Provavelmente, os homens casados cristãos que exigem que suas esposas se submetam a esse tipo de sexo ficam silenciosos na igreja e em seu testemunho cristão sobre fatores de risco do sexo anal para homossexuais. Eles estão certos sobre seu silêncio. Afinal, de que adianta homens casados que fazem isso o condenarem entre homossexuais se os riscos são exatamente os mesmos para quem não é homossexual?
Em ambos os casos, eles estão envolvidos em sodomia, palavra que, de acordo com o Dicionário Macmillan de Língua Inglesa (2ª edição, 2007), é definida como “um ato sexual em que um homem coloca seu pênis dentro do ânus de outra pessoa.”
Então o sexo anal, praticado por homossexuais ou não, é sodomia.
Há numerosos riscos de saúde no sexo anal, e a relação anal é a forma mais arriscada de atividade sexual por várias razões, inclusive as seguintes:
·         Diferente da vagina, os tecidos do ânus não são elásticos. Isso significa que o ânus pode facilmente rasgar, o que coloca o parceiro que recebe o pênis em perigo de abscessos anais, hemorroidas ou fissuras (um rasgo muito grande). A penetração pode rasgar o tecido dentro do ânus, permitindo que bactérias e vírus entrem na corrente sanguínea. A natureza frágil do tecido anal facilita que DSTs e bactérias entrem na corrente sanguínea. Um rasgo muito pequeno pode provocar, entre muitas outras infecções bacterianas, endocardite bacteriana, levando bactérias fecais na corrente sanguínea até chegar às válvulas do coração.
·         O tecido dentro do ânus não está bem protegido como a pele fora do ânus. Nosso tecido externo tem camadas de células mortas que servem como uma barreira de proteção contra infecções. O tecido dentro do ânus não tem essa proteção natural, que o deixa vulnerável a rasgos e à disseminação de infecções.
·         O ânus foi feito para segurar as fezes. O ânus é cercado por um músculo anelar, chamado de esfíncter anal, que aperta depois que defecamos. Quando o músculo está apertado, a penetração anal pode ser dolorosa e difícil. Sexo anal repetitivo pode levar ao enfraquecimento do esfíncter anal, dificultando segurar as fezes até você poder chegar ao banheiro.
·         O ânus está cheio de bactérias. Ainda que ambos os parceiros não tenham uma infecção ou doença sexualmente transmissível, as bactérias que normalmente vivem no ânus podem potencialmente infectar o parceiro que cede. Praticar o sexo vaginal depois do sexo anal pode também levar a infecções da vagina e do aparelho urinário.
O sexo anal pode trazer outros riscos também. O contato oral com o ânus pode colocar ambos os parceiros em risco da hepatite, herpes, HPV e outras infecções. Para os casais heterossexuais, a gravidez pode ocorrer se o sêmen for depositado perto da abertura da vagina.
Ainda que ferimentos graves do sexo anal não sejam comuns, podem ocorrer. Hemorragia depois do sexo anal pode ser devido a uma hemorroida ou rasgo, ou algo mais sério como uma perfuração (furo) no cólon. Esse é um problema perigoso que exige atenção médica imediata. O tratamento envolve estadia hospitalar, cirurgia e antibióticos para impedir uma infecção.
O Dr. Stephen Goldstone, um homossexual assumido e autor de “The Ins and Outs of Gay Sex: A Medical Handbook for Men” (Os Prós e Contras do Sexo Gay: Um Manual Médico para Homens), publicado pela Editora Dell de Nova Iorque em 1999, disse em seu livro:
“Exatamente como o músculo do seu esfíncter interno involuntariamente relaxa quando as fezes entram no seu reto, involuntariamente se contrai quando um pênis ou outro objeto tenta entrar a partir do lado de fora… Um rasgo anal pode ocorrer durante a fase inicial do sexo anal precisamente porque seu parceiro força a entrada do seu pênis num esfíncter fechado. Pense no seu pênis como um aríete, contra o qual o seu esfíncter interno não é páreo.”
O Dr. Goldstone é professor-assistente clínico de cirurgia na Faculdade de Medicina Mount Sinai e especialista em “questões de saúde de homens gays” e “desordens do ânus e reto.”
O Instituto Médico de Saúde Sexual, fundado pelo escritor evangélico Joe S. McIlhaney (que é doutor em medicina e um proeminente especialista em obstetrícia, ginecologia e infertilidade), diz sobre o sexo anal:
“É muito prejudicial para sua saúde e tem muitas possibilidades de ameaçar a vida.”
“O sexo anal é claramente uma forma perigosa de atividade sexual.”
De acordo com o Dr. David Delvin, do NetDoctor: “O sexo anal (retal) costumava ser mencionado nas leis inglesas como ‘crime contra a Natureza,’ e esse termo alarmante é ainda usado nas leis de cerca de nove estados dos EUA. O sexo anal sempre foi um assunto muito polêmico, e a polêmica que o cerca parece marcada para continuar nos anos futuros porque a evidência está se acumulando de que essa prática pode às vezes levar ao câncer anal.”
Ele também diz:
A Sociedade Americana do Câncer declara que ter sexo anal é um fator de risco para câncer anal tanto em homens quanto em mulheres.
Nossa impressão é que durante o século XXI o sexo anal se tornou mais comum entre casais heterossexuais, em parte porque eles assistem pornografia em que essa atividade ocorre com muita frequência.
Um estudo pequeno realizado em 2009 sugeria que na Inglaterra, por volta de 30 por cento dos DVDs pornográficos mostram relação sexual anal. Muitas vezes, isso é mostrado como algo que é tanto rotineiro quando indolor para as mulheres. Na vida real, esse não é o caso. A relação sexual anal é muitas vezes muito dolorosa para as mulheres, principalmente nas primeiras vezes.
Muitos apontam que pelo fato de que a Bíblia é silenciosa sobre o sexo anal, é permitido. No entanto, a Bíblia também é silenciosa sobre numerosas questões importantes de hoje, inclusive maconha e cocaína. Então, elas também são permitidas? Claro que não, e os críticos são rápidos para frisar os riscos de saúde do uso de drogas, mas muitos são muito lerdos para reconhecer que um homem e uma mulher que se engajam em sexo anal correm os mesmos riscos de saúde que dois homens engajados na mesma atividade sexual.
Vamos ver o “silêncio” da Bíblia:
“O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros.” (Hebreus 13:4 NVI)
Esse versículo sugere que, além do adultério, a cama conjugal pode ser contaminada por um número não especificado de atos imorais, deixando claro que Deus vai jugar os que contaminam suas camas conjugais.
Deus não está silencioso também nesta instrução:
“A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já dissemos e asseguramos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade. Portanto, aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus, que lhes dá o seu Espírito Santo.” (1 Tessalonicenses 4:3-8 NVI)
Sobre “Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa,” a Bíblia Expandida (publicada por Thomas Nelson) diz que essa passagem pode também ser colocada deste jeito: “Ele quer que cada um de vocês aprenda a viver com sua própria esposa de uma maneira santa e honrosa.”
Sobre “Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite,” essa passagem pode, de acordo com a Bíblia Expandida, ser colocada deste jeito: “Não explore nem tire vantagem de sua irmã cristã” nesse assunto sexual.
Existe exploração com relação ao sexo anal? Alguns anos atrás, uma proeminente advogada me disse que ela havia feito o divórcio de esposas de seus maridos, que eram pastores evangélicos. As mulheres estavam sofrendo enfermidades anais e relacionadas ao ânus e, para evitar as causas por parte de seus maridos insistentes que não cooperavam, escolheram o divórcio. Quantas mulheres, indispostas a sacrificar seus casamentos, sacrificam sua saúde para satisfazer as lascívias anais de seus maridos? Essa lascívia, com sua consequência na saúde de mulheres cristãs, parece ser um grande problema silencioso na igreja hoje — mais silencioso do que o suposto silêncio da Bíblia sobre esse assunto.
Muito embora o Primeiro Mandamento de nossa cultura hedonista seja GOZE O SEXO, o Primeiro Mandamento de Deus, que inclui prazer, tem outra prioridade.
Casais casados engajados em sexo anal não estão colaborando com o Primeiro Mandamento de Deus para o primeiro casal: Crescer e se multiplicar. A vagina e o útero são canais adequados para crescer e se multiplicar e trazer bebês. Um ânus não tem nada a ver com esse mandamento. O sexo anal traz doenças, problemas de saúde e nenhum bebê. Por isso, os maridos estão cooperando contra esse mandamento quando escolhem o canal errado e potencialmente prejudicam a saúde de suas esposas.
Além disso, pelo fato de que o corpo do cristão é o templo do Espírito Santo, os amantes do sexo anal deveriam enfrentar a realidade de que essa atividade sexual pode prejudicar esse templo. Contudo, se eles não querem razões da Bíblia, há abundantes razões médicas para evitar essa atividade e focar no canal apropriado criado, planejado e abençoado por Deus.
Se eles não querem dar atenção ao bom senso na Palavra de Deus, apelando para um suposto “silêncio,” o megafone da medicina grita nos ouvidos deles as consequências da sodomia.
Talvez os 11 por cento das pessoas casadas, de acordo com os números inflados do enganosos Instituto Kinsey, não se importem com os riscos de saúde da sodomia, mas os 90 por cento merecem conhecê-los.
Se os homossexuais merecem ser alertados sobre os riscos de saúde da sodomia, por que as esposas cristãs e seus maridos deveriam ser privados desse alerta?
Com informações do NetDoctor, Medical Institute for Sexual Health, Peter LaBarbera e WebMD.
Versão em inglês deste artigo: Anal Sex: Love or Harm?
Publicado originalmente em português no GospelPrime.
Leitura recomendada: